08 fevereiro 2010

VOCÊ CONHECE SUAS REAIS QUALIDADES?   
Uma das maiores dificuldades que deparamos constantemente é das pessoas responderem a essa pergunta: “Quais são suas qualidades?” Nem ouse em responder que não tem, ou não sabe. Não ter é impossível, pois todos nós temos algo de bom dentro de nós, o que pode acontecer é você não perceber, ou perceber apenas algumas, quando na verdade, tem muito mais. E se respondeu que não sabe, é porque está lhe faltando autoconhecimento, olhar para dentro de si mesmo e descobrir quanta coisa boa há em seu interior.
Conseguir o que deseja está totalmente relacionado com o valor que damos àquilo que já conseguimos. Quando você conquista algo, qual sua reação? Fica feliz e valoriza o que conseguiu? Ou pensa que podia ter sido melhor? Está sempre supervalorizando o que não fez e minimizando e/ou desprezando o que já conseguiu? Se agir assim com frequência, é bem provável que tenha dificuldades em ter novas conquistas, é como se sua mente o desestimulasse completamente em continuar a colaborar para alcançar aquilo que tanto deseja.
Portanto, se isso acontece com você, procure dar mais valor ao que conquista, independente de quanto seja, sem críticas ou comparações. E como é sua relação com o espelho? Você costuma evitá-lo e ao perceber um na sua frente, logo desvia o olhar? Será que foge apenas de sua aparência física, ou foge daquilo que há dentro de você? Já pensou que pode estar fugindo de si mesmo?
"Quase sempre nossa aparência física representa nosso interior e se não aceitamos o que vemos, provavelmente também não aceitamos o que sentimos."
Pode ser que age assim por acreditar que não há nada de positivo dentro de você para ser encontrado e assim, você foge. Em geral, as pessoas só sabem se criticar, se cobrar, muitas vezes como reflexo daquilo que receberam e assim, raramente conseguem avaliar suas reais qualidades. O que é muito diferente daquela pessoa que a todo o momento se faz parecer segura, fazendo questão de falar sobre suas supostas qualidades, pois quem acredita em si de verdade, é acima de tudo humilde, não sente necessidade em ficar supervalorizando o que faz, o que tem, mas tem consciência de cada uma.
Dificilmente conseguimos acreditar que temos qualidades, estamos sempre nos comparando com alguém que é muito mais bonito, inteligente, capaz, feliz, o outro sim, tem tudo que deseja e merece, mas nós, pobres mortais, estamos sempre nos sentindo inferiorizados. Mas será que tem que ser sempre assim? É evidente que não!
Muitas pessoas não conseguem perceber sua própria beleza, não digo apenas externa, mas principalmente a interna, em função de sua vergonha. Vergonha do corpo, que se estende para o rosto, o cabelo, as atitudes, os sentimentos. Enfim, passa a ter vergonha da pessoa que é, e para esconder toda essa vergonha, muitas vezes o inconsciente desenvolve máscaras como defesa. Pergunte-se do que poderá estar querendo se proteger, você sabe? Aconteceu algo em sua infância ou adolescência que o fez se sentir humilhado, envergonhado? Será que até hoje você não está reagindo de acordo com situações do passado? As respostas você pode encontrar dentro de si mesmo.
Mesmo que seja responsável, sincero, honesto, compreensivo, e muitas outras qualidades, por que você raramente consegue valorizar o que há de melhor dentro de você? Se durante sua vida aprendeu que seu valor como pessoa depende do que faz e principalmente por aquilo que tem, talvez esteja medindo seu valor baseado em seu desempenho e sucesso. Ou se você está sempre se comparando, porque assim fizeram com você, ficará cada vez mais perto de continuar fazendo aquilo que esperam de você e cada vez mais distante de quem é de verdade. E o resultado disso só pode ser conflito, insatisfação.
Se continuar a agir esperando pelo reconhecimento e aprovação, de quem quer que seja, se sentirá incapaz e dificilmente conseguirá valorizar a pessoa que você é. Não há como agradar a todos, e nem por isso você não tem seu próprio valor. É como se existisse uma luta interna entre o que esperam que faça e seja e quem de fato você é, e que inclui suas reais qualidades, mas que acabam por ser desprezadas, não só pelos outros, mas também por si mesmo.
Se outras pessoas não percebem as qualidades que têm, isso não quer dizer que não as tenha, simplesmente está se baseando em pessoas com valores diferentes dos seus. Baseie sua vida nos seus próprios valores. Aprenda a buscar aprovação e reconhecimento dentro de você.
Avalie seus dons, seus talentos, suas qualidades, mas não julgue, nem compare, apenas constate e pense o que te faz ignorar seus bens mais preciosos.
Comparar-se aos outros e na maior parte das vezes, se sentir menor, inferior, não o fará melhor que ninguém. Enquanto não perceber suas qualidades estará constantemente numa luta consigo mesmo. Pare com isso. Olhe para dentro de si, reveja quanta coisa boa carrega aí dentro, valorize tudo que sente, a pessoa que você é, os obstáculos que já enfrentou e dê muito mais valor a cada uma de suas conquistas, independente das outras pessoas. Pare de se comparar, se sentir inferior, de lutar consigo mesmo. E conscientize-se que é único, especial, mas somente com muita persistência irá conseguir romper o padrão de estar sempre se desvalorizando, sentindo-se inferior aos demais.
Cada um carrega em si o dom de ser capaz e ser feliz, diz a canção "Tocando em frente" de Almir Sater e Renato Teixeira. Pense nisso!
Fonte: Rosemeire Zago (Psicóloga)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua opinião em relação a ser um cristão nos dias em que vivemos?